15 dias

sexta-feira, agosto 02, 2013



Há uns tempos perguntaram-me qual tinha sido o dia mais feliz da minha vida até hoje.
Não respondi, fugi à questão, fui evasiva.... não, por não saber qual foi....talvez por achar que era demasiado clichet.

Tinha 4 anos, 2 meses e 10 dias. Brincava no recreio do infantário quando o meu pai chegou demasiado cedo e me levou pela mão e disse "nasceu a tua irmã".
Lembro-me como se fosse hoje, atravessamos a rua de Cedofeita, subimos a Rua da Boavista e chegamos à Ordem da Lapa.
A partir daí não me lembro de mais nada. Provavelmente e felicidade encheu-me de tal forma que fiquei cega, surda, incapaz de absorver e transmitir fosse o que fosse. Não me lembro do primeiro momento que a vi, mas sei que a partir dali a minha vida mudou. Para melhor.

A partir dali eu tinha uma pessoa que tinha de guiar, tinha de me comportar para lhe dar o exemplo...e tantas vezes é ela que me dá o exemplo a mim. Tantas vezes é ela que é o meu ídolo eu não eu para ela.
Tornámo-nos inseparaveis. Tanto nos pegávamos como a seguir se nos separassem berrávamos até não poder mais.
Fomos melhores amigas, trabalhamos juntas, vivemos inseparáveis, rimos, choramos, partilhamos...amamos.

E daqui a 15 dias ela vai para 6500km de distância.
Para uma terra de gentes que chorou baba e ranho a primeira vez que as viu na vida.
Porque essa crise, essa a quem eu tantas vezes chamo utópica, vai leva-la para longe de mim. Para longe dos nossos.
E por mais avanços tecnológicos que existam não há nada que substitua a presença, o cheiro, a voz...
As oportunidades surgem e as pessoas têm que as agarrar, principalmente quando estão em idade disso.
E o que eu mais quero é que ela seja bem sucedida.

Mas seria hipócrita se dissesse que não custa. Que não dói. Que não vou chorar. Que não vou sentir.
Quero que tudo lhe corra pelo melhor, mas quero mais é que o tempo passe e chegue o dia em que vou estar a dizer que o dia mais feliz da minha vida, na altura, seja o dia em que a minha irmã vai voltar para mim. Para nós. Porque até hoje, o dia mais feliz da minha vida, foi o dia em que a minha irmã nasceu.
Amo-te pokemon! Volta rápido!


With love,
Sílvia Pereira

You Might Also Like

12 comentários

  1. Ela vai para estar bem. Grandes sacrifícios trazem maiores recompensas :)
    Um beijinho grande Sílvia.

    ResponderEliminar
  2. :'(
    oh fiquei de lágrima no olho, sei como vocês se adoram, lembro-me dos acampamentos, são realmente inseparáveis

    Bj enorme.

    E que tudo corra pelo melhor para a Rita

    ResponderEliminar
  3. Posso dizer que o teu texto me deixou de lágrima no olho :,) infelizmente estas separações são as mais difíceis mas as alegria que daí podem vir serão muito melhores certamente* beijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Impossível ficar indiferente a esta mensagem de amor! Beijinho grande Sílvia!

    ResponderEliminar
  5. wow, este texto está qualquer coisa
    as separações custam sempre, principalmente quando é de alguém que nos é muito próximo
    boa sorte e força para as duas :)

    beijinho!

    ResponderEliminar
  6. Os laços de amor nunca são quebrados nem pela distância...

    ResponderEliminar
  7. Os laços de amor nunca são quebrados... nem pela distância...

    ResponderEliminar
  8. Os laços de amor nunca são quebrados... nem pela distância...

    ResponderEliminar
  9. Sou filha única e esse é o maior desgosto da minha vida!

    ResponderEliminar
  10. identifiquei-me 100% com as tuas palavras, incrível mesmo! chorei tanto mas tanto ao lê-las...afinal temos algo em comum, eu com o meu irmão 6 anos mais novo que eu, mas o meu orgulho! obrigada!

    ResponderEliminar

Like us on Facebook

Flickr Images